Coluna Boa Terra (Por Valdemir Santana) - Edição do dia 1º/11

Jet set carioca começa celebração de bodas que inclui festa na Bahia


Tribuna da Bahia, Salvador
01/11/2017 15:15 | Atualizado há 20 dias, 9 horas e 17 minutos

   
Foto: Reprodução

Uma das celebrações de bodas mais elegantes, e ao mesmo tempo mais descontraídas do grand monde no Brasil teve inicio no Rio de Janeiro, no final da semana. E ganha mais requinte e sutileza na Bahia. Ou seja, tem mais festa domingo, dia onze, no balneário Itacaré, a quatrocentos quilômetros de Salvador. É o casamento da it girl Catharina Tamborindeguy Gerdau Johannpeter, herdeira da holding “Grupo Gerdau”, com o executivo do banco “Brasil Plural” Luis Felipe Pereira da Silva. 

O noivo, formado pela “London Business School”, no Reino Unido, deixou um cargo de destaque na gigante “Kraft Foods” de Londres, que é a dona da marca “Lacta” e veio trabalhar no Brasil. A noiva, Catharina Tamborindeguy  é referencia para o hit society no Brasil. A mãe dela é a socialite Narcisa Saldanha Tamborindeguy, personagem que esbanja simpatia no noticiário sobre a elite. O pai Caco Gerdau Johannpeter, herdeiro da holding “Grupo Gerdau”, como todo bem nascido esbanja naturalidade, como Boa Terra já comprovou em festas na Bahia. 

Neta de artista baianos entre daminhas

Para os baianos houve outra singularidade interessante nas bodas de Catharina Tamborindeguy e Luis Felipe Pereira da Silva. Uma das daminhas foi Catarina Rique Moreno, herdeira da holding varejista “Grupo Aliansce” e neta dos artistas plásticos baianos Mimi Fonseca e Tati Moreno. Na foto ela aparece ao lado de Olivia Johannpeter Nabuco. A coluna informou antes,com exclusividade,sobre a festa de confirmação das bodas marcada para o resort “Txai Resort”, no balneário Itacaré. 

E realmente a festa baiana acontece como uma confirmação de votos. Já a celebração que aconteceu sábado, encantou o high society. O noivo usou traje sob medida feito em Buenos Aires. A noiva um incrível vestido com saia godê assimétrica, assinado por Pedro Lourenço. Combinou com diamantes, nada de jóias extravagantes. As orquídeas asiáticas “Vanda” fizeram a apoteose do ambiente na deslumbrante igreja de Nossa Senhora do Outeiro da Glória, pioneira no exuberante estilo barroco na cidade. A tia da noiva, Nicole Tamborindeguy assinou a decoração com a grife de sua empresa “My Bloom”. 

Jóias imperiais da Bahia crioula em Los Angeles

Quem detalha a sutileza e os mistérios da incrível riqueza da Bahia no período imperial brasileiro. Mais precisamente, o fascínio das exuberantes jóias crioulas que as escravas de Salvador, e da aristocracia rural, exibiam nas ruas durante o século XIX, é a pesquisadora norte-americana Sarah Chenault. Ela faz palestra na quarta feira, dia oito, no singular “Fowler Museum” da Universidade da Califórnia, em Los Angels, nos Estados Unidos. 

A palestra está na agenda da gigante exposição "Axé Bahia: The Power of Art in an Afro-Brazilian Metropolis," que a University of California inaugurou em setembro e foi noticia exclusiva em Boa Terra. “Essas cadeias de ouro e encantos de prata adornaram mulheres africanas descendentes, libertas e escravizadas, em Salvador, na Bahia, onde servem como expressões de liberdade social e religiosa em uma existência de outra forma colonizada” comenta a pesquisadora.

Guru da Tropicália, Torquato Neto é destaque na mostra paulistana

Durante duas semanas a cineasta paulistana Renata de Almeida dirigiu o maior e mais importante evento do cinema do país, “A Mostra Internacional do cinema em São Paulo” e fez um apanhado do que o cinema contemporâneo mundial tem produzido. E apresentou tendência, temáticas, narrativas e estéticas que o mundo conheceu. Para a Bahia, um espaço de ouro para destacar produtores que estão fora de cena no estado, mas brilharam na programação paulistana.

Neste destaque, vale citar a diva do cinema novo Helena Ignez e o instigante Edgard Navarro, ambos noticiados pela coluna durante o evento. No encerramento que acontece hoje, vale também saber sobre “Torquato Neto – todas as Horas do Fim”, o documentário exibido domingo, segunda e ontem, falando sobre o guru do movimento Tropicália. Ninguém menos que o piauiense Torquato Pereira de Araújo Neto que morou a maior parte da vida em Salvador e mudou a contracultura baiana. O pernambucano Jesuíta Barbosa é o fio condutor para apresentar a história do gênio que passou por aqui.

Regata franco baiana tem boa ação e leilão de arte

A badalada “Transat Jacques-Vabre”, a bienal corrida transatlântica que parte neste domingo do porto de Le Havre, na França, em direção a Salvador, movimenta muito mais do que o mundo esportivo. Como Boa Terra noticiou, entre os participantes há projetos de ajuda social a crianças brasileiras, e muita festa para o turismo. O agito no mundo cultural, nem se fala, como o apoio do artista Jo Di Bona, que amanhã faz leilão de setecentos pares de tênis grafitados para ajudar o projeto.


Compartilhe       

 


TRIBUNA VIRTUAL



 

Notícias Relacionadas