13º salário deve injetar R$ 8,5 bi na economia baiana

Estima-se que R$ 4,7 milhões de baianos recebam o 13º salário, o que equivale a 5,61% do total nacional


Tribuna da Bahia, Salvador
09/11/2017 10:00 | Atualizado há 12 dias, 14 horas e 38 minutos

   

Por Yuri Abreu

Para o trabalhador em geral, uma das grandes expectativas, com a chegada do final do ano, é com relação ao pagamento do décimo terceiro salário – a primeira parcela deve ser paga pelas empresas até o próximo dia 30. Também chamada de gratificação natalina, essa remuneração, aqui na Bahia, deve injetar na economia o valor de R$ 8,57 bilhões até dezembro, mês em que a segunda parcela deve ser paga (até o dia 20).

Ainda conforme o levantamento, divulgado ontem pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), estima-se que 4,7 milhões de baianos recebam o 13º salário, o que equivale a 5,61% do total nacional e a 25,95% da Região Nordeste. Do total de pessoas que vão receber a gratificação, 48% dos beneficiados serão do trabalho formal e os outros 52% são de aposentados e pensionistas. Cada um desses deve receber, em média, o valor de R$ 1.711,95.

Com relação aos valores que cada segmento deve receber, o Dieese apontou que os empregados formalizados ficam com 61,6% (R$ 5,27 bilhões) e os beneficiários do INSS, com 31,9% (R$ 2,73 bilhões), enquanto aos aposentados e pensionistas do Regime Próprio do estado caberão 5,74% (R$ 492,5 milhões) e aos do Regime Próprio dos municípios, 0,8%. À nível de Brasil, estima-se que deverão ser injetados na economia brasileira mais de R$ 200 bilhões. Ao todo, Cerca de 83,3 milhões de brasileiros serão beneficiados com um rendimento adicional, em média, de R$ 2.251. 

Ainda conforme o Dieese, o cálculo levou em conta dados da Relação Anual de Informações Sociais (Rais) e do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), ambos do Ministério do Trabalho. Além disso, também foram consideradas informações da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), da Previdência Social e da Secretaria Nacional do Tesouro (STN).

Comércio otimista

Para os comerciantes e lojistas da capital baiana, o pagamento do 13º salário é visto como um grande desafogo, uma vez que o segmento, ao longo ano, não teve vendas significativas, principalmente pelo fato de o país ainda estar saindo, mesmo que timidamente, de uma recessão. Contudo, para esse período natalino, as expectativas de vendas, em comparação ao mesmo período do ano passado chegam a 6%.

“Além do crescimento, temos a perspectiva de criação de mais de três mil empregos temporários”, afirmou o presidente da Câmara dos Dirgentes Lojistas (CDL) de Salvador, Alberto Nunes. De acordo com ele, esta é uma época em que os clientes levam muito em conta a questão dos presentes e a gratificação natalina é muito utilizada para isso. Dentre os itens que devem ser mais visados estão vestuário, alimentos, decoração, perfumaria, entre outros.

Leia mais na edição impressa do jornal ou na Tribuna Virtual.


Compartilhe       

 


TRIBUNA VIRTUAL



 

Notícias Relacionadas