Coluna Boa Terra (Por Valdemir Santana) - Edição do dia 10/11

Suíço que faz agro-revolução na Bahia vira mito na cena cult


Tribuna da Bahia, Salvador
10/11/2017 13:30 | Atualizado há 11 dias, 11 horas e 10 minutos

   

O pesquisador suíço Ernst Götsch, que se tornou a sensação na vanguarda do agronegócio a partir de experiências feitas no interior da Bahia, é agora também personagem do cenário cult brasileiro. Durante três dias, a partir de domingo, 26, ele fala sobre a incrível “Agricultura Sintrópica”, em Brumadinho, em Minas Gerais. É a sede do “Inhotim”, o museu de arte contemporânea com jardins botânicos singulares que encantam o mundo. 

O “Inhotim”, com peças de arte expostas a céu aberto, não tem similar no mundo. Ultrapassa o limite do universo da arte com a agenda de seminários, conferências e pesquisas que interessa boa parte do mundo. Quanto a Ernst Gotsch, não é a primeira vez que o pesquisador chama a atenção geral e conta o sucesso do sistema que melhorou hortaliças, frutas e madeiras em Barra do Piraí, na região de Valença, a trezentos quilômetros da Capital. 

A história foge dos estudos tradicionais e inclui a sabedoria rural da Suíça, onde passou a infância plantando rabanete e os estudos sobre a cultura gótica, na Alemanha. Também, a sabedoria tribal da Costa Rica, onde Ernst Götsch morou antes de se mudar para a Bahia.  

Modelo surfista baiano na lista de faves tops da Europa

O surfista e modelo baiano Ariel Rosa, que se tornou sensação no cenário fashion mundial ao ser escalado para desfiles de grifes da alta moda européia em 2016, chama mais uma vez a atenção na Europa. O rapaz de 18 anos acaba de ser escolhido para a “JW Anderson faves” uma lista inédita de dez modelos que só pisam nas passarelas com o aval da icônica grife britânica “JW Anderson”, do irlandês Jonathan Anderson.

O mundo da moda nunca viu uma escalação de modelos certificados. Para se ter idéia, a “JW Anderson favoritos” foi a noticia de destaque ontem na “Models”, a bíblia do mercado mundial de modelos. Nem precisa lembrar que além da tutela da holding “JW Anderson” para participar de qualquer marca de moda, Ariel Rosa desfila também para as coleções autorais de Jonathan Anderson.

Gal Costa canta na Praça de Touros de Lisboa

Gal Costa canta hoje em Portugal coberta de glória pelo destaque no noticiário da mídia, e também por um fato curioso. A baiana que se consagrou como musa do tropicalismo no Brasil é chamada de Rainha da Bossa Nova na mídia portuguesa. Nada melhor. O show que faz parte da turnê “Espelho D’Água” acontece hoje e manhã na singular casa de espetáculos “Campo Pequeno”. É uma praça de touros, ou seja, espaço para touradas que funciona desde o final do século XIX.

Os portugueses chamam o espaço “Campo Pequeno” de lenda da Tauromaquia. Ou seja, praça de touradas tradicional. É o orgulho do show business e da tradicional cultura portuguesa. A tourada é politicamente correta no país e segundo a história foi praticada pela realeza, incluindo monarcas queridinhos da história brasileira, como os reis D. Sebastião, D. Afonso VI e D. Miguel. O mais valente era D. Pedro II, que lutava montada a cavalo. Mas este foi do período medieval, não aquele barbudo e simpático de Petrópolis. 

Cardápio natureba em hotel chique 

Quem pensa que a comida vegana é cardápio apenas das tribos neo-rippies. Aquelas tribos que vestem roupas de algodão indiano e se enfeita com hibiscos, precisa saber qual é a novidade num dos ambientes mais requintados do Rio de Janeiro, o “23 Ocean Lounge”. O bar e restaurante que fica no terraço do luxuoso “Sofitel Rio de Janeiro”, acaba de lançar a sua “Salada Vegana”, como atração de verão. 

O que tem a ver para os baianos é que o espaço precioso para o Jet set brasileiro é comandado pelo chef francês Jérôme Dardillac. Ao chegar ao Brasil, depois de formado pela “École de Chasseneuil” e de trabalhar na região dos Alpes suíços, ele atuou na Ilha de Itaparica e foi uma das estrelas da badalada e concorrida agenda de Costa do Sauípe. 

“Vai Vai” escolhe corte para desfile com Gil

A escola de samba “Vai Vai”, a mais premiada do carnaval paulistano como vencedora de quinze prêmios, redobra os preparativos para a homenagem ao baiano “Gilberto Gil” com o enredo “Sambar com Fé eu vou”, no carnaval de 2018. Redobrar significa agitar a festa de sábado, dia 18, para a escolha da corte mirim do desfile. O anfitrião é o presidente Darly Silva, o mestre Neguitão. E o samba em homenagem a Gil foi criado pelos carnavalescos Alexandre Louzada, Chico Spinoza, André Marins, Junior Schall e Delmo de Moraes.


Compartilhe       

 


TRIBUNA VIRTUAL



 

Notícias Relacionadas