Coluna Boa Terra (Por Valdemir Santana) - Edição do dia 11/11

La Rique retorna à Bahia e festeja com Narcisa em Itacaré


Tribuna da Bahia, Salvador
11/11/2017 14:31 | Atualizado há 10 dias, 10 horas e 9 minutos

   
Foto: Reprodução

O Jet set brasileiro se agita com estilo, elegância e muita alegria para a festa de casamento de Catharina Tamborindeguy Gerdau Johannpeter com o executivo Luis Felipe Pereira da Silva se tornar um momento singular na temporada baiana. E consegue. A festança começou ontem e termina neste domingo. Os noivos moram no Rio de Janeiro, celebraram a cerimônia religiosa numa das mais tradicionais igrejas cariocas, há duas semanas, e junto aos convidados começaram a chegar ao exclusivo resort “Txai”, a uns quatrocentos quilômetros de Salvador, na noite de anteontem.

Para se ter idéia da mobilização vale lembrar que a empresária carioca Luciana Rique, herdeira de uma rede de shoppings centers e considerada umas das personagens mais brilhantes do varejo brasileiro, está na turma. Ela deixou Salvador há três anos e foi morar em Londres. Praticamente desistiu de um fabuloso projeto de retrofit urbano com palacetes do Centro Histórico, na Bahia, mas fez questão de vir festejar agora com a filha da amiga Narcisa Tamborindeguy, um dos símbolos do savoir faire carioca.

Outra Jet-setter que deixou a Europa para festejar em Itacaré foi a empresária Karmmita Medeiros. Dirige um escritório para venda de imóveis de luxo em Paris e Londres e já foi casada com um príncipe. Na lista de internacionais, também a família herdeira do clã comandado pela bilionária Lilly Sarty, incluindo o filho dela Carlos Monteverde. 

A apresentadora de televisão Glória Maria da Matta está na lista de madrinhas do casamento e circula em Itacaré com uma turma enorme de amigas. A lista de convidados, tão exclusiva quanto uma página do icônico Almanach de Gotha, passou pelo crivo da poderosa Ana Maria Carvalho Pinto. Com gosto refinado, supervisionou tudo e o cardápio assinado pelo chef Clécio Campos.

Elegantes fazem estoque de tiaras para o réveillon 

O Jet set baiano causou tanto rebuliço na festa de lançamento dos adereços de cabelos da marca francesa Alexandre de Paris, esta semana, que terminou revelando o segredo para a produção do réveillon. Uma turma enorme vai comemorar a passagem do ano com uma clássica tiara de cabeça. O lançamento foi na loja “Danielle Magalhães” da Pituba, e começou com o tradicional corre-corre pelas “Camélias”, o prender de cabelos criado pela empresa para a “Chanel” e que se tornou um clássico da marca.

As “Camélias” vendidas a R$ 540, eram a sensação da noite até a apresentação das benditas tiaras. Coalhadas de pedrarias e na mesma faixa de preço, deram de goleadas nas florzinhas clássicas. No corre-corre pelas novidades recebidas pela consulesa e empresária de moda Lila Moraes Kunz, estavam Jet-setters poderosas, como Guta de Paula Brito, com família ligada ao trade de combustível, Lara de Moraes Soares, casada com o advogado Ciro Rocha Soares e considerada uma das socialites mais elegantes de Salvador, a advogada e professora de Direito Karla Borges de Melo Almeida e a juíza Fabiana de Almeida Oliveira Pellegrino.

O mito do biticoin passado a limpo 

Quem chega a Salvador, nesta segunda feira, e deve provocar um terremoto nos bastidores do trade financeiro, e principalmente na agenda dos aspirantes a endinheirados, é a advogada Rosine Kadamani. Formada pela prestigiada “Fundação Getulio Vargas”, ela é uma das fundadoras da instigante “Blockchain Academy”, uma rede colaborativa empenhada em desmistificar a cyber moeda “Biticoin”. Isto mesmo, a moeda virtual é o assunto da palestra e dos debates marcados para o “Hotel Mercure Pituba”, da Avenida Magalhães Neto, a partir das oito e meia da segunda feira.

Rosine Kadamani trabalhou por 13 anos no conhecido escritório “Pinheiro Neto Advogados”, e é especialista em “Direito Bancário”. Joga um balde de segurança sobre aquela desconfiança de que a moeda virtual é associada ao crime. Ou que é difícil resgatar os investimentos cibernéticos e transformar em moda convencional.  

Rendas da alta moda com inspiração em Trancoso

A rendeira chique Martha Medeiros pode pedir o preço que quiser por suas criações elegantes. O Jet set não reclama porque sabe muito bem que está lidando com peças de uma das estilistas mais singulares do mundo. Os vestidos criados em séries reduzidas no atelier elegante de São Paulo, com arquitetura assinada por Olegário de Sá, surgem de um material bem especial, que são as rendas elaboradas por um pool de 250 rendeiras de Alagoas.

Vale, portanto, a expectativa pela nova coleção de vestidos para o réveillon com apresentação dia 28. O destaque fica para o litoral baiano, afinal o nome da coleção é “Trancoso”, o mais badalado dos balneários do sul do estado. 

O jesuíta que chegou à Bahia para civilizar o Brasil 

O “Pen Clube do Brasil”, a influente e poderosa organização carioca de escritores independentes que defende a liberdade de expressão e os valores humanistas, promove evento que já deveria estar na pauta da cultura baiana há muito tempo. É a mesa redonda, desta segunda feira, para o lançamento das “Obras Completas de Manoel da Nóbrega”. Ou seja, sobre o sacerdote jesuíta português que desembarcou na Bahia junto com Tomé de Souza para a fundação de Salvador e tanto fez que mudou a história intelectual das Américas.

Numa terra coalhada de índios que até praticariam canibalismo, ou foram injustamente acusados de fazer essas coisas, o Padre Manoel da Nóbrega, como a dificuldade de gaguejar, teve jogo de cintura para evitar guerras, ensinar as tribos a ler e ainda ajudou a fundar as cidades de São Paulo e do Rio de Janeiro. Mas antes de tudo criou a primeira obra literária do país. O evento é na sede do “Pen Clube” na Praia do Flamengo, e tem participação do diretor do “Museu Nacional”, Paulo Knaus de Mendonça; Claudio Aguar, do Pen Clube e Paulo Roberto Pereira, o organizador da fabulosa “obras Completas de Manoel da Nóbrega”.


Compartilhe       

 


TRIBUNA VIRTUAL



 

Notícias Relacionadas