Regata Jacques Vabre: Um show de cores na chegada dos Veleiros

O trimarã Sodebo Ultim' bateu o recorde da regata na classe Ultime, ao completar o percurso de Le Havre (França) a Salvador (Bahia) em 7 dias, 22 horas e 7 minutos


Tribuna da Bahia, Salvador
14/11/2017 09:03 | Atualizado há 7 dias, 15 horas e 37 minutos

   
Foto: Jean-Marie Liot / ALeA / TJV17

Sete dias, 22 horas e sete minutos após a partida da cidade de Le Havre, na França, para refazerem a antiga “Rota do Café” pelo Oceano Atlântico em direção ao Brasil, os primeiros velejadores da regata Transat Jacques Vabre chegaram a Salvador na manhã de segunda-feira. O desfile de cores das embarcações contribuiu para a celebração dos 516 anos da Baía, originalmente chamada pelos índios tupinambás de Kirimurê, que significa "grande mar interior", e que foi apresentada ao Velho Mundo no dia 1º de novembro de 1501 - Dia de Todos os Santos -, pelo navegador florentino Américo Vespúcio. Salvador já foi escolhida como destino final da regata nos anos de 2001, 2003, 2005 e 2007, e volta a receber a honraria após 10 anos.

O Brasil foi palco de uma das maiores façanhas da vela oceânica mundial. O trimarã Sodebo Ultim' bateu, nesta segunda-feira (13), o recorde da Transat Jacques Vabre na classe Ultime, ao completar o percurso de Le Havre (França) a Salvador (Bahia) em 7 dias, 22 horas e 7 minutos, às 8h42 (Horário de Brasília). A marca anterior para os de 8 mil quilômetros foi obtida em 2007 pelo Groupama - 10 dias e 38 horas. 

Horas depois do campeão, o Edmond de Rothschild, completando a festa da Baía de Todos-os-Santos. Ambos fizeram a regata com média superior a mil quilômetros por dia! Os franceses Thomas Coville e Jean-Luc Nélias foram recebidos com fogos de artifício, frutas tropicais e caipirinha no desembarque no Terminal Turístico Náutico da Bahia.

''Quando a gente se aproximou de Salvador e viu a cidade foi um momento especial! É muito legal ver os prédios perto depois de tantos dias velejando sem parar'', disse Thomas Coville. ''Foi uma disputa acirrada desde a primeira noite entre a gente''. ''O momento decisivo foi após a Ilha da Madeira. O Edmond de Rothschild deve ter tido um problema e nós passamos, velejando bem rápido durante todo o percurso'', disse Nélias.

A dupla de velejadores franceses Thomas Coville e Jean-Luc Nélias, a bordo do Sodebo Ultim', foi a campeã da classe Ultim ao cruzar a linha de chegada às 7h59, horário local (8h59 no horário de Brasília). Eles fizeram uma média de 22,92 nós e mais de 1 mil km percorridos por dia. Com isso, torna-se uma marca histórica da competição – dois dias e duas horas mais rápido do que o barco Groupama, que realizou o mesmo percurso em direção à Baía de Todos os Santos, na capital baiana em 2007. 


Compartilhe       

 


TRIBUNA VIRTUAL



 

Notícias Relacionadas