Coluna Boa Terra (Por Valdemir Santana) - Edição do dia 10/10

Provocação artsy mostra Caetano, Lea T e La Braga nas capas da “Elle”


Tribuna da Bahia, Salvador
02/12/2017 14:30 | Atualizado há 10 dias, 19 horas e 45 minutos

   
Foto: Reprodução

A edição brasileira da “Elle”, a maior revista de moda do mundo, chega às bancas nesta segunda feira, dia nove, com uma proposta instigante. Circula com cinco capas, cada uma fazendo interpretação especial de momentos e personagens ícones da arte universal. O cantor baiano Caetano Veloso aparece como tema de “Joiners", ou marceneiros, que são colagens do fotógrafo David Hockney, um mito da arte pop no século vinte. A foto para a capa é assinada por Bob Wolfenson.

Outro artista baiano, o ator Lazaro Ramos, aparece ao lado da mulher Taís Araujo, numa criação referente ao “Beijo”, quadro do pintor austríaco Gustav Klimt. Mas nada mais instigante do que a mineira Lea Cerezo, conhecida internacionalmente como a modelo Lea T, reproduzindo a deslumbrante tela “Nascimento de Vênus” pintada no final da idade média por Sandro Boticelli. Nem precisa descrever, basta imaginar a deusa nuazinha em cima de uma concha, empurrada por representações iradas dos ventos.

Pausa também para ver a capa com a atriz paranaense Sonia Braga recriando a cena mítica da Mona Lisa, o quadro mais famoso do mundo, pintado pelo gênio Leonardo da Vinci. O ator Zé Celso Martinez Corrêa, ícone da rebeldia no teatro político latino-americano, está impagável na cena angustiante de “O Grito”, do norueguês Edvard Munch.

Daniela Mercury ganha netinha paranaense

O cheiro de alfazema chega ao show business reforçado pela alegria de Daniela Mercury que foi informada ontem, pelas redes sociais, da chegada em breve de uma netinha, em Curitiba. Foi noticia divulgada pela filha dela, a dançarina e produtora Giovana Póvoas. “Conheci o maior amor do mundo. Nós estamos muito felizes com essa bênção. Gostaria de compartilhar com os amigos essa alegria. Nossa filha já é muito amada” escreveu a filha da cantora no final da tarde ontem.

Mesmo sem ser uma avó de primeira viagem, Daniela reproduziu rápido a mensagem da filha e num piscar de olhos já recebia quase dois mil comentários dos fãs. Giovana é formada em balé clássico com certificado do “Royal Ballet" de Londres, e atua em Curitiba como dançarina, atriz e produtora, ao lado do novo companheiro Giovanne Simão, também produtor cultural.

O curioso é que apesar de estar grávida, Giovana Póvoas estréia como a dançarina Cassie Fergunson, protagonista do icônico musical “Chorus Line”, no sábado, dia 9, em Curitiba. Ela foi casada antes com o musico Emerson Taquary. Quanto a Daniela já é experiente como avó. Ela é avó de Clarice Póvoas, de oito anos, que é filha do cantor Gabriel Mercury Póvoas.

Concerto no mar agita a riviera cultural 

A surpresa na programação cultural leva o show business a se voltar para o mar e valorizar Salvador como parte de uma riviera que pulsa entre os esportes e as artes. Como o projeto dos empresários Paulo Lebram e Benito Gama que começou a detalhar para o empresário Marcelo Sacramento, que é o comodoro do “Yatch Clube da Bahia". Nos planos está a organização de um grande concerto numa embarcação, próxima da costa, reunindo a dupla de artistas Ítalo e Marcelo. No repertório hits de musicas internacionais e do pop brasileiro. 

Sutilezas baianas no cardápio muito cool do Jet set

No vai e vem do show business, e do Jet set, vale muito deixar de lado a curiosidade se a produtora baiana Marina Morena Almeida e o chef paulistano Rafael Cesana formam realmente um casal convencional. Melhor saber que os dois andam sempre juntos, no Brasil e no exterior, exibindo toda a felicidade do mundo. Como se viu na quarta feira, na noite de lançamento da nova edição da revista “FFWMAG”, do Publisher e produtor de moda Paulo Borges.

A festa para as tribos totalmente “cools” foi no bar “Orfeu” que funciona debruçado sobre a feérica Ipiranga, a avenida sem pecado do centrão de São Paulo. Raphael Cesana que fez um sucesso enorme comandando a rede “Chez Oscar", assume o novo espaço e mostra o fascínio que tem para a Bahia com as sutilezas do cardápio. Um dos pratos é o nhoque de vatapá.  

Terra à vista, e a prazo, na aldeia pataxó 

Os índios baianos fazem bons negócios com os visitantes há mais de cinco séculos. Vendiam madeira desde a chegada dos navegadores, e continuam faturando bem com o turismo e já existe até a figura de consultor indígena, para orientar o trade de turismo em negócios ligados à cultura do lugar. O elegante “La Torre resort” que encantou meio mundo quando hospedou a seleção de futebol da Suíça, durante a Copa do Mundo de 2014, acaba de contratar o especialista Karkaju Pataxó como assessor.

Boa Terra já noticiou como existe um verdadeiro shopping Pataxó na reserva indígena da Coroa Vermelha, e os cocares são vendidos como água. Os guerreiros da trribo aparecem como biscuits.  Fora da ferveção turística, a ala elegante também não tira os olhos. A revista “Arquitetura e Construção’”, referencia no setor para a mídia brasileira, publicou ontem foto de uma casa de praia em que aparecem luminárias especiais. ”Lustres de cipó confeccionados por índios pataxó do distrito de Itaporanga para a Divino’s” informa a revista, citando a marca chique de decoração que revende as peças de sucesso.


Compartilhe       

 


TRIBUNA VIRTUAL



 

Notícias Relacionadas