Bancadas baianas divergem sobre Previdência

Afonso Florence reiterou que PT fechará questão contra reforma; Aleluia defendeu projeto


Tribuna da Bahia, Salvador
06/12/2017 07:23 | Atualizado há 7 dias, 2 horas e 53 minutos

   
Foto: Reprodução

Por Romulo Faro

A maioria das bancadas baianas dos partidos com representação na Câmara dos Deputados já definiu sua posição na votação da proposta de reforma da Previdência Social proposta por Michel Temer (PMDB). Das legendas de oposição ao governo, a expectativa é de que todos fechem questão pela rejeição da PEC (proposta de emenda à Constituição) no plenário da Casa. Líder da minoria no Congresso Nacional, o baiano Afonso Florence garantiu à Tribuna que não só os baianos, mas que o PT em peso votará contra a reforma de Temer. “O PT está com o povo brasileiro e vai votar em peso contra mais um absurdo desse governo golpista que não tem legitimidade para fazer reforma nenhuma”, disse Florence. 

O deputado afirmou também que não acredita que o presidente conseguirá os votos mínimos para aprovar a reforma da Previdência. Para ter êxito, Temer precisa do apoio de pelo menos 308 dos 513 deputados federais na votação. “Eu não quero menosprezar o adversário, mas tenho praticamente certeza de que o governo não tem os 308 votos necessários”. Os cinco deputados federais que representam o PSD baiano na Câmara também votarão contra a reforma. É o que garante à Tribuna o presidente da legenda na Bahia, senador Otto Alencar. Vale lembrar que o PSD compõe o governo de Michel Temer. Otto Alencar adianta que se a matéria for aprovada na Câmara e chegar ao Senado ele votará contra também. “Somos contra essa reforma e votaremos contra todos os pontos, em qualquer cenário”. 

O senador avalia que Temer não terá êxito na busca por apoio desta vez, com os métodos que usou para garantir a aprovação da reforma trabalhista e para rejeitar os dois pedidos de investigação que o Supremo Tribunal Federal (STF) fez à Câmara a partir das denúncias de corrupção oferecidas pela Procuradoria Geral da República. 

“Eu acho que esse esforço de fim de ano do presidente não vai ter sucesso na Câmara desta vez. O método que eles estão empenhando só terá êxito se os parlamentares não tiverem dignidade. Qualquer parlamentar que tenha dignidade não aceita uma vergonha dessas. Retaliar fundo partidário, isso é idiotice. Se o sujeito se curva a isso, ele não pode ser parlamentar. Eu acho que Temer não tem nem 250 votos. No Senado, se o projeto chegar aqui, não tem menor condição de votar uma coisa dessas neste ano. E se chegar, eu votarei contra”. Otto Alencar disse ainda que mesmo sendo da base, o PSD deve ter maioria contra a reforma na Câmara dos Deputados. “A maioria não quer votar. Nem mesmo o PMDB do presidente quer aprovar isso”.

Leia mais na edição impressa do jornal ou na Tribuna Virtual.


Compartilhe       

 


TRIBUNA VIRTUAL



 

Notícias Relacionadas