"Ela não foi imprudente, ela foi homicida"

Durante sua fala, o promotor Davi Galo chegou a jogar as provas no chão


Tribuna da Bahia, Salvador
06/12/2017 17:12 | Atualizado há 6 dias, 17 horas e 5 minutos

   
Foto: TJ-BA

Na tarde desta quarta-feira (6), segundo dia do juri popular da médica Kátia Vargas, o promotor Davi Galo chegou a jogar as provas no chão, e afirmou que a médica "foi homicida". "Isso é prova (joga os autos no chão). Peritos. Prova testemunhal. Ninguém a conhecia, ninguém tinha nada contra ela. Infelizmente nesse país abastados não devem ser condenados. Dizem aqui para você que ela foi imprudente. Ela não foi imprudente, ela foi homicida. Ela quis matar e matou os dois", afirmou

E completou. "Ninguém aqui é ruim, meu Deus do céu. Não somos monstros. Esse crime... Não tentem culpar a imprensa, não. Divulgou muita coisa, pode ter errado... Passaram quatro anos e ninguém esquece a forma brutal que esse crime foi cometido. Coisa fútil, uma simples discussão de trânsito. Orgulho ferido, desrespeito, desejo de matar para satisfazer. Tentaram denegrir a imagem dos seus filhos (para Marinúbia). Você beijou os filhos e não sabia que estava beijando pela última vez. É a destruição de uma família. Quatro anos e não cessa".

No encerramento de sua fala, o promotor disse que o 'sistema foi feito para punir preto e pobre, e não branco e abastado'. "Não se trata disso aqui. Se trata de um crime bárbaro. Por respeito às leis, façam justiça. Condenem essa mulher por esse crime bárbaro que ela cometeu. Dona Marinúbia, eu fiz minha parte. Está feita"

Acompanhe:

17h30: A defesa da médica terá mais uma hora para fazer a tréplica. O juri se reunirá logo na sequência.

17h58: O advogado contesta neste momento, o fato de a acusação ter dito que eles mudaram a tese.

18h00: A defesa começa a exibir novamente vídeo de uma reportagem feita pela TV Band. O conteúdo diz que o momento exato da batida foi gravado em vídeo. A defesa questiona: "Cadê o vídeo?".

18h10: Juíza pergunta se os jurados estão habilitados a julgar.

18h25: Juíza convida os jurados para a sala secreta. Eles terão que responder os seguintes questionamentos para formar a definição da sentença da ré: 

1 - Materialidade do Fato/Existência do Fato

2- Autoria: a ré arremessou o veículo em alta velocidade contra o fundo da moto projetando vítimas contra o poste?

3- A conduta da ré decorreu da culpa consistente de imprudência da ultrapassagem?

4 - Obrigatório em todos julgamentos: o jurado absolve a ré?

5 - Qualificadora: a ré agiu por motivo fútil?

6 - Qualificadora:  Teve incapacidade de defesa das vítimas?Agiu em meio a uma via de grande circulação?

7 - Qualificadora: perigo comum, por estar na rua e poder ferir outras pessoas.

18h36: Os advogados de defesa começam a comemorar, mas ainda não tem resultado

18h46: É grande a movimentação de advogados, familiares e policiais militares no corredor de acesso ao salão do juri.

19h06: Por 4 a 1, juri popular considera Kátia Vargas inocente.

Compartilhe       

 


TRIBUNA VIRTUAL



 

Notícias Relacionadas