Oposição ameaça obstruir votação por emendas

Hildecídio Meireles e Carlos Geilson dizem de que o governo “não cumpre suas promessas” e cobram pagamento de emendas para a oposição


Tribuna da Bahia, Salvador
07/12/2017 07:14 | Atualizado há 6 dias, 3 horas e 2 minutos

   
Foto: Reprodução

Por Romulo Faro

Um antigo assunto volta a acirrar os ânimos da Assembleia Legislativa da Bahia (AL-BA) às vésperas do recesso parlamentar e de votações cruciais para o governo do Estado, como a LOA (Lei Orçamentária Anual) de 2018: a liberação das emendas parlamentares ainda não liberadas. Em entrevista à Tribuna, o deputado Hildécio Meirelles (PMDB) ratificou a reclamação do colega de oposição Carlos Geilson (PSDB) de que o governo “não cumpre suas promessas”. “O governador Rui Costa mais uma vez não cumpre com a palavra”, afirmou Geilson no plenário da Assembleia.

Hildécio Meirelles afirmou que não apenas ele e Geilson têm problemas com as emendas, mas “todos os colegas da oposição são retaliados” com a liberação dos recursos. Segundo o peemedebista, o Executivo deve ainda R$ 3 milhões em emendas parlamentares acumuladas desde 2015. “O governo não paga. Tivemos uma conversa com Coronel (deputado Ângelo Coronel (PSD), presidente da Assembleia) em julho, e ele nos disse que o governador tinha proposto um acordo avalizando nossas emendas. Nada aconteceu até agora. Só tem liberação de emendas da oposição em um ou outro caso esporádico. Eu recebi um trator porque eles colocaram errado. Recebi até agora dois tratores. Um, porque o prefeito de Teolândia é ligado ao governo, e outro por engano. Era para uma cidade e eles mandaram para outra que eu tinha designado para receber a máquina”, relatou o peemedebista.

O deputado parece não confiar mais também na palavra do líder do governo na Casa, deputado Zé Neto, do PT. “A conversa de Zé Neto é sempre essa de crise e de paciência. Parece até que é um troféu o governo do Estado manter contas e dia e pagar funcionários em dia. Mas está mesmo tudo em dia? Tem empresa terceirizada aí há três meses sem receber do estado. Os deputados deles têm dado ambulância a prefeitos nossos, tentando cooptá-los. Depois eles ficam falando desse empréstimo que não sai...”. Hildécio Meirelles diz que a bancada deve obstruir as próximas votações. “Se não pagarem nossas emendas, nós não votaremos projeto nenhum. Por mim a gente entra em janeiro trabalhando. Eles têm maioria absoluta e podem aprovar, mas a gente tem o direito de obstruir”. O deputado Carlos Geilson disse ainda em seu protesto que o presidente Ângelo Coronel “tem sido a tábua de salvação do governo”. Coronel não atendeu às ligações da reportagem até o fechamento da edição.

Leia mais na edição impressa do jornal ou na Tribuna Virtual.


Compartilhe       

 


TRIBUNA VIRTUAL



 

Notícias Relacionadas