Coluna Boa Terra (Por Valdemir Santana) - Edição do dia 7/12

Luiza Dahia dança a Fada Açucarada, ícone de balé “O Quebra Nozes”


Tribuna da Bahia, Salvador
07/12/2017 13:33 | Atualizado há 5 dias, 20 horas e 40 minutos

   
Foto: Reprodução

Cinco solistas estão definidos para protagonistas do balé “O Quebra Nozes”, a super produção do corpo de baile da academia “Ballet Rosana Abubakir” em cartaz dias 14 e 15, quinta e sexta feira, no “Teatro Castro Alves. Duas bailarinas, Carmen Lopes e Virna Lima, fazem a infância e fase adulta da personagem Clara, fio condutor da história mágica que acontece na noite de Natal. 

Jean Carvalho é o Quebra Nozes, que aparece em forma de soldadinho e é pivô de amores e intrigas na história escrita pelo icônico francês Alexandre Dumas, e Ezequiel Salles é o príncipe do Reino dos doces. O papel que mais intriga pela virtuose da bailarina, o da Fada Açucarada, rainha do “Reino dos doces” é dançado por Luiza Dahia.

A dança da Fada Açucarada  é um hipnótico movimento de deslocamento em ponta, chamado de pas deburée. A bailarina se equilibra em movimento continuo sem pausa para apoio. Mas não é única magia da produção comandada pela bailarina, coreografa e empresária Rosana Abubakir. Ela estudou em Londres e em Havana, o maior centro do balé clássico nas Américas, antes de criar a academia de dança em Salvador. 

O balé “O Quebra Nozes” que estreou em São Petersburgo, a capital imperial da Rússia, em 1892, faz parte da agenda cultural do natal em praticamente todas as metrópoles mundiais. A primeira produção completa no Brasil, foi feita em Salvador, nos anos 1980, por Dalal Achcar.  Depois ela passou a comandar o corpo de baile do “Theatro Municipal do Rio de Janeiro", e o foco da produção passou a ser o calendário carioca. Este ano o “Theatro Municipal” não monta ”O Quebra Nozes” por causa da crise política.

Talento baiano na cena cool da cultura paulistana 

A glória da cantora baiana Xênia França na cena índie paulistana parece sem limites. E encanta cada vez mais principalmente em redutos que prestigiam as batidas eletrônicas da musica negra, o exotismo do tambor batatá e toda a pegada pop de seu Rhythm and blues. Domina a elite cultural também, como aconteceu anteontem, no convite do gigante “Instituto Moreira Salles” para gravar na série “Rádio Batuta” nas instalações da Avenida Paulista. 

A “Radio Batuta” é a web radio, ou seja, a radio na internet da poderosa instituição que promove a dinâmica cultural, mas reage ao chamado mecenato tradicional. Ou seja, só atua naquilo que passa pelo crivo da instituição e tem realmente valor.  

A digital Influencer que agita o Brasil e Manhattan

Depois que se mudou para Manhattan, no mês passado, o prestigio da it-lady Heleninha Bordon Meirelles só faz aumentar nos círculos internacionais. A estilista, empresaria de moda e blogger que foi considerada pela mídia francesa como uma das digital influencer mais poderosas do mundo, não chega a ser uma baiana, mas a família dela é. Pelo lado de Nizan Guanaes, o mega publicitário casado com a mãe dela, Donata Meirelles.

Mas o que vale destacar na jovem é a escolha feita pela marca brasileira “Água de Coco”que pertene à empresáriaLuiza Thomaz,  para lançar, ontem, nas redes sociais, a produção usando o body “Conchas Foil" com o short “Noronha”. Marca brasileira, mas em alta no exigente mercado americano. A “Água de Coco” atuou neste semestre com uma pop up store no meio das bilionárias mansões dos “Hamptons”, o bairro exclusivo mais chique do mundo, onde a pop star Madonna Ciccone, tem casa. Sem falar que foi lançada no mercado internacional em parceria com a “Victoira’s Secret”’. Com direito à baiana Adriana Lima e tudo.

A corrida fashion pela fama começa em Blumenau 

O poderoso Rodrigo Toigo, um dos agentes de modelos mais conhecidos no Brasil, como diretor do departamento fashion da holding “Ford Models Brasil” escolheu a cidade catarinense de Blumenau para deflagrar a mais cobiçada corrida pela fama no mundo fashion. Ele comanda neste sábado, dia 9, a primeira eliminatória do “Ford Models Supermodel of the world” no poderoso centro da industrial têxtil brasileira. E deixou o Brasil agitado para saber a agenda em outros estados.

A ansiedade é para saber como se inscrever, concorrer. E disputar oportunidades no Brasil e no mundo. O concurso de 2016 ficou na história pela escolha da baiana Ana Flávia Santos como a primeira negra a vencer a disputa nacional. Curiosamente, como Boa Terra noticiou, a top já mudou de agencia e foi trabalhar com a concorrente “Megamodel Brasil”.


Compartilhe       

 


TRIBUNA VIRTUAL



 

Notícias Relacionadas