Preço do material escolar pode variar até 60%

Pais se antecipam para comprar material escolar e encontram disparidade de preço


Tribuna da Bahia, Salvador
12/01/2018 14:00 | Atualizado há 5 dias, 16 horas e 37 minutos

   
Foto: Reginaldo Ipê

Por Yuri Abreu

Se, para muita gente, o dia de ontem serviu para renovar a fé no Senhor do Bonfim, para outros o momento foi o de aproveitar as ruas mais tranquilas no centro da cidade para realizar a análise de preços e compra do material escolar, uma vez que o início do ano letivo se aproxima. Nas livrarias e papelarias, o movimento foi bastante intenso ao longo desta quinta-feira. Para os pais, a palavra de ordem era uma só: pesquisar. Mas também, se possível, pechinchar.

Foi o que fez a dona de casa Renata Bastos, com um filho na 6ª série do Ensino Fundamental, ela já se disse preparada para as compras do material nesse início de ano. “Os livros eu geralmente vejo se tem usados, para não precisar gastar com o novo. De resto, eu acabo optando pelo mais barato”, afirmou. A mesma tática tem o contador Bernardo Moreira, pai de um menino que está na 3ª série. “A gente só não permite que eles venham com a gente. Do contrário, acabamos gastando mais que podemos”, disse.

A reportagem da Tribuna da Bahia percorreu algumas livrarias e papelarias da região da Piedade/Avenida Joana Angélica para fazer uma cotação de preços de alguns dos produtos mais procurados (a tabela você confere mais adiante). Mais do que nunca, “bater perna” pode ser um diferencial entre comprar mais barato ou mais caro os itens do material escolar. A redução, no final das contas, pode ser de quase 57%, a depender do item pesquisado nos estabelecimentos.

O lápis preto número dois, por exemplo, está custando R$ 0,40 na Livraria Monteiro, R$ 0,35 na Livraria M2 e R$ 0,80 na Livraria Popular. Por outro lado, uma tesoura sem ponta custa, no primeiro estabelecimento, o valor de R$ 3,90, contra R$ 2,95 no segundo e R$ 2 no terceiro. Por último, uma lapiseira de ponta 0,7mm estava custando, respectivamente, R$ 4,75 (Monteiro), R$ 4,70 (M2) e R$ 5 (Popular).

Confira os preços de alguns dos itens do material escolar:

 

Livraria Monteiro

Livraria Popular

Livraria 2M

Caderno 96 folhas

R$ 4,30 (pequeno)

R$ 8 (grande)

R$4,30(p)/R$8,90(g)

Caderno 10 mat.

R$ 11,40

R$ 10

R$ 19,90

Cad. de desenho

R$ 6,99

R$ 8

R$ 4,95

Lápis preto nº 2

R$ 0,40

R$ 0,80

R$ 0,35

Apontador

R$ 0,50

R$ 0,50

R$ 0,45

Lapiseira (0,7mm)

R$ 4,75

R$ 5

R$ 4,70

Grafite (cx c/12)

R$ 0,75

R$ 2

R$ 2,60

Borracha

R$ 0,70

R$ 1

R$ 0,85

Caneta

R$ 0,65

R$ 1

R$ 0,60

Giz de Cera

R$ 2,05

R$ 3

R$ 4,85

Lápis de Cor (c/12)

R$ 7,60

R$ 5

R$ 4,95

Cola bastão

R$ 1,10

R$ 1,80

R$ 1,40

Cola líquida

R$ 0,95

R$ 1,50

R$ 1,20

Massa de modelar

R$ 4,10

R$ 5

R$ 5,45

Estojo

R$ 3,75

R$ 6

R$ 5,90

Tesoura sem ponta

R$ 3,90

R$ 2

R$ 2,95

Régua 30cm

R$ 1,90

R$ 1

R$ 1,70

 

Ibametro faz operação até o próximo dia 20

Com o intuito de evitar que o consumidor seja lesado, levando para casa produtos com, por exemplo, quantidades inferiores ao que está informado no rótulo, o Instituto Baiano de Metrologia e Qualidade (Ibametro) está realizando, até o próximo dia 20, uma operação intensiva para fiscalização de material escolar. A ação acontece na capital e interior do Estado, com o apoio das oito agências regionais do órgão.

Entre os produtos fiscalizados estão cadernos, lápis de cor, tintas guache, colas, corretivos, massas de modelar, papéis ofício, borrachas e giz de cera, entre outros. Os fiscais estão percorrendo supermercados, mercadinhos de bairro, lojas e papelarias para recolher amostras dos produtos visando a realização de exames laboratoriais.

De acordo com o órgão, o aspecto quantitativo de cada item será checado conforme o tipo (em mililitros, em gramas ou em unidades). Uma recomendação aos pais é a de fiquem atentos ao selo do Inmetro nas embalagens. “Orientamos aos pais que busquem comprar os artigos escolares no mercado formal e exijam a nota fiscal, que pode ser utilizada para reclamações em caso de irregularidades no produto” destacou o diretor-geral do Ibametro, Randerson Leal.

Dicas

De acordo com o educador financeiro, Reinaldo Domingos, algumas dicas devem ser seguidas pelos pais antes de comprar o material escolar, uma vez que os preços variam muito entre lojas. Por isso, conforme o especialista, é importante pesquisar e planejar as compras para economizar sem ter que abrir mão da qualidade nos estudos das crianças. Confira as dicas:

·         Por ser uma dica recorrente, precisa fazer parte do planejamento anual dos pais. Assim, é válido poupar durante todo o ano para conseguir fazer os pagamentos à vista e obter bons descontos;

·         A família pode analisar itens do ano passado e selecionar tudo o que pode ser usado novamente este ano, como tesoura, régua e mochila;

·         No caso dos livros, vale a pena procurar pais de alunos mais velhos para emprestar ou comprar por um preço mais acessível, se estiverem em boas condições de uso;

·         No dia das compras, converse com os filhos sobre o orçamento, para que não corram o risco de se deixar levar pelo impulso e gastar mais do que o planejado.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas