Carnaval terá abertura na Barra e atração no mar

Dez dias, mais de mil horas de música distribuídas em diversas localidades, e, claro, muitas novidades para quem vai curtir na capital baiana em 2018


Tribuna da Bahia, Salvador
13/01/2018 13:30 | Atualizado há 6 dias, 15 horas e 21 minutos

   
Foto: Max Haack

Por Adilson Fonseca

Este ano até o calendário ajudou. Com a festa do Rio vermelho, no dia 02 caindo numa sexta-feira, o carnaval de Salvador vai ser realizado na prática em 13 dias, só terminando a manhã do próximo dia 14, Quarta-Feira de Cinzas. Isso porque imediatamente no dia após a festa de Iemanjá, no Rio Vermelho, o circuito Barra-Ondina vai ser palco do Fuzuê e do Furdunço, sábado e domingo, com uma pausa na segunda-feira, e retomando a festa com o Pipoco, do cantor Léo Santana, já na terça-feira à noite.

Com uma série de novidades, dentre as quais um palco flutuante na Baía de Todos-os-Santos, defronte ao Solar do Unhão, uma Torre Eletrônica e um show de Armadinho, com o Trio Dodo&Osmar na tarde de terça-feira do carnaval, com o Por do Sol na Praça, o carnaval de Salvador, segundo estimativas da Secretaria de Cultura e Turismo deverá atrair para a cidade mais de 780 mil turistas nacionais e estrangeiros.

Os números, como enfatizou o prefeito ACM Neto em entrevista à imprensa no final da manhã de ontem em um hotel no Campo Grande, foram estimados com base em pesquisas quantitativas e qualitativas dos últimos anos junto às operadores e agências de turismo, à rede hoteleira e com os principais  polos emissores do turismo para Salvador. Desse total, pelo menos 10%, ou cerca de 80 mil, serão de turistas estrangeiros e mais de 300 mil vindos de outros estados, se sobressaindo São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

Para o prefeito ACM Neto, para balizar as novidades do carnaval deste ano, a Prefeitura realizou pesquisas nas cidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Brasília para saber o que as pessoas esperavam do carnaval de Salvador. “Identificamos que cada segmento da população tem uma ideia do que quer no carnaval: axé, pagode, bloco afro, afoxés, bloco com trio e bloco pipoca. Daí que fizemos o tema “Salvador, meu carnaval”com o povo sendo o dono da festa”, disse o prefeito, afirmando que haverá espaços para todos os rimos e manifestações.

Mil horas de som  - Contando com os pré-carnavais – Furdunço e Fuzuê – que começam nos dias 03 e 04 de fevereiro, sequenciando a festa de Iemanjá no dia 02, e a realização da festa em 10 bairros e nas três ilhas do município – o carnaval de Salvador vai ter mais de mil horas de som, principalmente nos sete circuitos principais da festa – Dodô, Osmar, Batatinha, Riachão, Sérgio Bezerra, Orlando Tapajós e Mestre Bimba.

Atrações de peso nacional como Cláudia Leite (abertura oficial do carnaval), no dia 08, no Circuito Dodô. Carlinhos Brown e Daniela Mercury, vão estar não só nos circuitos e blocos com trio, mas também animando o chamado folião pipoca domingo, segunda e terça feriado de carnaval  no circuito mais tradicional, o do Campo Grande.

Mas não apenas as atrações artísticas diferenciam o carnaval de Salvador. Mas também pelos espaços diversificados, onde vários rimos serão executados para todos os gostos e bolsos, desde blocos tradicionais com trio, onde desfilam os associados, a blocos afros, afoxés e shows gratuitos, além do chamado “carnaval pipoca” animado pelas principais estrelas do carnaval da Bahia. Para quem pretende curtir a folia fora dos sete circuitos oficiais da festa, haverá carnaval também em 10 bairros e nas ilhas de Bom Jesus, Maré e dos Frades.

Mudanças – Uma das mudanças destacadas este ano, é que a abertura oficial do carnaval não mais será na quarta-feira, no Campo Grande, mas sim na quinta-feira,  a partir das 17 horas na Barra, com a cantora Cláudia Leite e o rapper norte americano Pitbull, que trará a Zumba, espécie de dança-ginástica como principal atração. Mas mantendo a tradição, na quarta-feira à noite, no Campo Grande, o prefeito fará a entrega das chaves da cidade ao rei e Rainha Momo.

No circuito mais tradicional, o Osmar, no Campo Grande, o carnaval começa este ano diferente. A quinta-feira, quando eram reservadas as primeiras atrações de blocos com trios e outras entidades, será dedicada exclusivamente ao samba, com a Noite do Samba. Já no Centro Histórico, a sexta  Orquestrada com cinco orquestras, organizará até a terça-feira,   grandes bailes públicos, com  máscaras, fantasias, serpentinas e confetes.

Inovações

O carnaval Náutico e a Torre Eletrônica serão inovações que serão testadas este ano e poderão ser repetidas no ano que vem. A primeira será um palco flutuante na Baía de Todos-os -Santos, próximo ao Solar do Unhão, no domingo a partir do meio dia. E a Torre será montada  na quinta-feira, no Farol da Barra, sempre atuando após o desfile do último trio elétrico.

Diversidade vai ditar os ritmos 

Carnaval é só festa, mas nem toda festa será de ritmos do carnaval. Assim é que do pré-carnaval, que começa logo após a Festa de Iemanjá, nos dias 3 e 4 de fevereiro, no circuito Barra-Ondina, com 30 e 4ª atrações do Fuzuê e Furdunço, respectivamente, Salvador será uma diversidade de rimos e locais, atendendo à diversidade socioeconômica e cultura da própria cidade.

Assim é que para quem gosta de samba, a quinta-feira do circuito Osmar , no  Campo Grande será da gafieira, do samba de colher, do samba swingado e das diversas expressões do Samba. Já a partir da sexta será a vez dos que gostam do carnaval tradicional, com máscaras, fantasias e orquestras, no Centro Históricos.  E para quem gosta do som eletrônico, dos DJs, de quinta até a terça de carnaval, o ritmo será no Farol da Barra, após a passagem do último trio, com a Torre Eletrônica.

Haverá ainda palcos temáticos em áreas diferentes da cidade, como o Espaço do Rock, em Piatã, sempre a partir das 19 horas, o Terreiro do Samba, na Cruz Caída, na Praça da Sé, e o terreiro de Jesus, com reggae, arrocha, hip hop no Palco Multicultural. O público da diversidade terá  Beco das Cores,na Barra, e um desfile de luxo e fantasia na Praça Municipal na segunda-feira à tarde. As crianças, por sua vez, terão bailes de sábado a terça-feira entre 10 e meio dia, no Circuito Osmar (Campo Grande). Os portadores de dificuldade de locomoção ganham camarotes exclusivos no Campo Grande, Piedade e Ondina.

Atrações

De BaianaSystem  a Igor Kanário, o carnaval de Salvador vai ter de tudo. A| festa vai ter, do Fuzuê e Furdunço, que compõem o pré-carnaval. Até a manhã da Quarta-Feira de Cinzas, mais de 200 apresentações em bairros e nos sete circuitos da folia. Grupos culturais como  Mamulengo da Bahia, Oficina de Frevos e Dobrados, vão dividir espaços e atenções do público com nomes conhecidos, como Malê Debalê, Armandinho, Dodô & Osmar, Alavontê,  Márcia Castro e BaianaSystem. Atrações. Atrações consagradas como Carlinhos Brown, Daniela Mercury e Cláudia leite, vão estar também este ano puxando blocos de foliões pipoca no circuito do Campo Grande.

Patrocinadores bancam 60% da festa

Dos R$ 55 milhões de custos estimados para o Carnaval de Salvador, aproximadamente  R$ 34 milhões virão da iniciativa privada, através do patrocínio direto da Caixa econômica Federal, Ambev (Skol), Olla e Air Europa. Juntos, eles deverão aportar na festa o equivalente a 60% do custo, podendo esse valor de investimento privado ser ainda ampliado com patrocínios que ainda estão sendo negociados.

A informação foi confirmada pelo prefeito ACM Neto no final da manhã de ontem e corresponde a um crescimento  na captação de recursos privados de 10% em relação ao carnaval anterior. Por outro lado, o fluxo de turistas – 770 mil estimados – deverá também ser 10% maior do que o do ano passado no mesmo período. Desses, cerca de 80 mil serão estrangeiros, 300 mil de outros estados, principalmente São Paulo, e 400 mil de cidades do interior do Estado.

A Secretaria de Cultura e Turismo estima que o carnaval vai proporcionar uma ocupação de mais de 90% da rede hoteleira em Salvador, e que e a economia da cidade deverá movimentar, durante todo o carnaval, algo em torno de R$ 1,7 bilhão, incluindo rede hoteleira, serviços de turismo, bares e restaurantes, aluguéis de imóveis para a temporada e outros serviços agregados ao turismo.

 Segundo explicou o secretário Cláudio Tinoco, cada turista estrangeiro gasta em média durante o período de carnaval R$ 1.785, número este que sobe para 4.915 do turista nacional, incluindo ai os que vêm do interior do Estado. A esses valores não estão incluídos os gastos com passagens aéreas, rodoviárias ou para quem vem de veículo próprio.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas