Pesquisa: apenas 39% da população brasileira tem o hábito de praticar esportes

Problemas financeiros, não gostar de exercícios, não ter uma companhia para praticar uma atividade, e a falta de tempo


Tribuna da Bahia, Salvador
30/01/2018 12:24 | Atualizado há 24 dias, 9 horas e 42 minutos

   
Foto: Reprodução

Nada de caminhadas diárias, partidas de futebol, algumas braçadas na piscina três vezes por semana, ou idas à academia. Segundo pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), apenas 39% da população do Brasil tem o hábito de praticar esportes. Na região Nordeste, o caso ainda é mais grave, e o número cai pra 36%. As justificativas são diversas: problemas financeiros, não se identificar com nenhum tipo de atividade física, não gostar de exercícios, não ter uma companhia para praticar uma atividade, e a principal delas: falta de tempo, problema apontado por 38,2% dos entrevistados pela pesquisa. “Nas grandes cidades brasileiras, o tempo gasto entre casa e trabalho é muito grande e isso termina interferindo no tempo que as pessoas teriam para a prática esportiva”, diz Augusto Cruz, advogado, escritor e palestrante. Após lidar com muitas noites mal dormidas, sobrepeso e muito estresse, Augusto se tornou um corredor e mudou os hábitos, adotando um estilo de vida mais saudável. Hoje, realiza palestras sobre o equilíbrio necessário para o dia a dia. “O que muitas pessoas descobrem, quando se permitem praticar algum tipo de exercício, é que o esporte de um modo geral, também ajuda a superar problemas que vivemos no nosso dia a dia, como a ansiedade e a insônia”, conta. As experiências vividas por Augusto Cruz renderam, no final de 2015, o livro “Corredor: um estilo de vida”, que tem a 2ª edição já confirmada e em processo de preparação.

Outro dado para da pesquisa divulgada pelo IBGE: melhorar a qualidade de vida ou o bem-estar foi o principal motivo apontado por aqueles que decidiram praticar alguma atividade. Entre as atividades citadas, a caminhada foi adotada por 49% das pessoas que se exercitavam, seguida da musculação (17%), andar de bicicleta (6,1%) e correr (4,2%). “Eu sempre falo: a corrida e a prática esportiva me ajudaram a combater uma insônia que médico algum conseguia resolver. Foi necessário cultivar a perseverança e manter uma disciplina para alcançar o patamar de ter uma noite inteira de sono. Com a corrida, além de dormir bem, emagreci, ganhei qualidade de vida, melhorei minha disposição e até o meu desempenho no trabalho”, conclui Augusto.


Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas