Polícia Civil atuará com equipes infiltradas no Carnaval 2018

Os investigadores estarão misturados aos foliões pipoca e dentro de blocos e camarotes para coibir e reprimir furto, roubo e tráfico de drogas


Tribuna da Bahia, Salvador
08/02/2018 17:17 | Atualizado há 13 dias, 8 horas e 45 minutos

   
Foto: Jorge Cordeiro

Os policiais estarão misturados aos foliões pipoca e dentro de blocos e camarotes Delegados e investigadores dos departamentos de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco) e de Crimes Contra o Patrimônio (DCCP) da Polícia Civil estarão, mais uma vez, trabalhando infiltrados no Carnaval 2018. Os policiais estarão misturados aos foliões pipoca e dentro de blocos e camarotes.

As equipes do Draco vão agir para coibir e reprimir o tráfico de drogas, enquanto que as do DCCP atuarão nos crimes contra o patrimônio (furtos e roubos). O diretor do Departamento, delegado Marcelo Sansão, os policiais velados também vão observar a movimentação nos circuitos, e, poderão acionar as equipes padronizadas para que sejam realizadas abordagens e prisões em flagrante, para qualquer tipo de atividade criminosa. 

O delegado Élvio Brandão, diretor do DCCP, revela que o Disque-Denúncia (3235-0000), da Secretaria da Segurança Pública (SSP), também será uma das ferramentas utilizadas neste Carnaval. “Se um crime estiver ocorrendo em qualquer ponto dos circuitos e a informação chegar à polícia pelo Disque-Denúncia, temos a opção de deslocar os policiais infiltrados para averiguar a situação sem chamar a atenção e decidir o melhor momento de efetuar uma prisão”, exemplificou o diretor do DCCP, delegado.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas