Escolha de nova líder na Câmara Municipal deixa oposição estremecida

O presidente municipal do PCdoB, Everaldo Augusto, está insatisfeito com o processo de eleição


Tribuna da Bahia, Salvador
09/02/2018 07:43 | Atualizado há 12 dias, 18 horas e 17 minutos

   
Foto: Reprodução/Bocão News

Por Henrique Brinco 

A votação que definiu a nova liderança de oposição da Câmara de Vereadores de Salvador continua causando burburinho no meio político. O presidente municipal do PCdoB, Everaldo Augusto, está insatisfeito com o processo de eleição. Na manhã da última segunda-feira, a petista Marta Rodrigues foi escolhida para o posto, substituindo José Trindade (PSL), que ficou na primeira vice-liderança. Moisés Rocha (PT) foi eleito para a segunda vice e Sidninho (Podemos). O PCdoB, que chegou a concorrer indicando Aladilce Souza para o cargo de líder, não gostou na formação. “Nessa escolha do novo líder ocorreram alguns fatos inéditos. Por iniciativa do PT, resultou em uma exclusão do PCdoB e do PSB. Não teve, apesar das tentativas, o mínimo de debate sobre os projetos da oposição no próximo período, as estratégias para enfrentar o Executivo…”, reclamou Everaldo Augusto, presidente municipal do PCdoB.

O vereador Carlos Muniz (Podemos) também foi outro que não concordou com a ideia. Ele fez duras críticas contra Marta Rodrigues (PT), em declarações para a imprensa. A bancada do PT na CMS havia se comprometido a votar nele para 1º vice-líder da oposição, sendo que os vereadores do Podemos votariam em Marta para líder do bloco. Apesar disso, somente Moisés Rocha cumpriu o acordo. O edil quer o Podemos como independente na Câmara – o que enfraqueceria ainda mais a já pequena bancada oposicionista.


Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas