Um em casa dez baianos um tem problemas com dentição

Segundo dados do IBGE, em 2013, na Bahia, quase 1 milhão de adultos haviam perdido todos os dentes, o que representava cerca de 1 em cada 10 adultos no estado


Tribuna da Bahia, Salvador
12/04/2018 11:37 | Atualizado há 8 dias, 5 horas e 55 minutos

   
Foto: Reprodução

Por  Anilson Salomão

Todo mundo quer ter um belo sorriso, não é? Mas a beleza deve vir acompanhada de saúde. Desta forma, é essencial que, além daqueles dentes alinhados e branquinhos,  eles estejam também saudáveis para exercerem seu papel na saúde bucal da melhor forma.

Segundo dados da ultima pesquisa realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 2013, na Bahia, quase 1 milhão de adultos (966 mil pessoas de 18 anos ou mais de idade) haviam perdido todos os dentes, o que representava cerca de 1 em cada 10 adultos no estado (9,1%). As mulheres eram 73,% dos que tinham perdido todos os dentes (705 mil ou quase 3 em cada 4 pessoas).

Ainda de acordo com a pesquisa 98,8% baianos que perderam todos os dentes, tinham 40 anos ou mais de idade (954 mil pessoas); desses 85% eram sem instrução ou não tinham o ensino fundamental incompleto.

No entanto, muitas pessoas ainda ficam constrangidas por não possuírem todos os dentes. Para corrigir esse quadro, uma boa higienização e cuidados diário auxiliam para a manutenção do bom estado da dentição. Para as pessoas que perderam os dentes, o implante é uma opção. 

De acordo com o dentista Marcos Oliva, especialista em Implantodontia e coordenador do curso de Implantodontia do Instituto Primem, à melhora forma para manter a dentição em boas condições é a higienização, “Todos os cuidados são importantes, principalmente a longo prazo,  para evitar cáries e doenças como periodontite e gengivite, ainda é  a escovação adequada e uso de fio dental”. Disse Marcos. 

Segundo Oliva ainda o acompanhamento frequente de um profissional, que vai evitar ou corrigir imediatamente problemas que possam vir a resultar em perda dentaria. No caso de pacientes mais jovens, a perda de dentes está mais frequentemente associada a traumas, quedas e pequenos acidentes.

O especialista disse ainda que é usada como base as idades de 15 a 18 anos para ambos sexo, porem podem haver casos que seja preciso uma avaliação medica, “De maneira geral, esperamos que o período de crescimento facial tenha sido encerrado, já que os implantes são como dentes paralisados, que não acompanham o crescimento do rosto”. explicou o dentista.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas