BRT de Salvador não passa de 2020, diz prefeitura

O moderno sistema BRT vai ligar as Estações da Lapa e Iguatemi


Tribuna da Bahia, Salvador
16/04/2018 15:30 | Atualizado há 4 dias, 2 horas e 4 minutos

   

Por Lício Ferreira

O secretário de Mobilidade Urbana da Prefeitura de Salvador, Fábio Mota, disse, por telefone à Tribuna, neste domingo15,  que as obras para implantação do Bus Rapid Transit (BRT) que vai ligar as Estações da Lapa e Iguatemi já começaram e que, no máximo, até o final de 2020, elas estarão concluídas conforme prazo estipulado de 28 meses.

“Agora, elas se encontram em fase de sondagem e de feitura do projeto”, explicou. Executado pelo Consórcio BRT Salvador, formado pela Camargo Correa Infraestrutura S.A., Construções e Comércio Camargo Correa S. A. e Geométrica Engenharia de Projetos Ltda, o primeiro trecho terá 2,9 km de extensão e recursos de R$ 212 milhões oriundos da Caixa Econômica Federal.  

Para Fábio Mota, o novo modal de transporte da capital baiana vai possibilitar a criação de linhas exclusivas, em corredores de tráfego próprios e segregado das demais vias.  “Por ser moderno, o BRT vai reduzir o tempo do soteropolitano no trânsito e melhorar a mobilidade em regiões críticas da cidade”, assegura.

Ainda de acordo com o secretário municipal este novo meio de transporte público proporciona “mais conforto, segurança e uma melhor locomoção”. E acrescenta: “As intervenções para sua implantação serão concluídas em 28 meses e fazem parte do eixo Investe do programa Salvador 360”.

Construções  

O BRT vai exigir a construção de três viadutos. Um no sentido Parque da Cidade/Lucaia; outro na direção Parque da Cidade/Iguatemi; e mais um no Iguatemi, perto do viaduto Raul Seixas. Já no Cidadela e na região do Hiper, serão erguidos elevados paralelos para a implantação das estações em cada um desses locais.

Durante esta primeira fase, as obras serão realizadas em cima de canteiros, passeios ou jardins. “Sem que haja necessidade de quaisquer intervenções no tráfego neste período. Mas, caso seja necessária qualquer alteração no trânsito, nesta ou em outras fases das obras, a Transalvador avisará a população com antecedência”, antecipa Fábio Mota.

A implantação do BRT de Salvador também envolve outras obras, tais como macrodrenagem, urbanização e paisagismo, além da implantação de ciclovias.

Etapas 

O sistema BRT englobará mais duas etapas. Segue do bairro Cidade Jardim (Parque da Cidade) até a Estação da Lapa com 5,5km de extensão. As obras prevêem a implantação de viadutos na Avenida Garibaldi e elevados paralelos no Vale das Pedrinhas e Cidade Jardim.

O projeto do segundo trecho do BRT contará com recursos de R$300 milhões do Orçamento Geral da União (OGU), além de R$112 milhões do Programa de Financiamento das Contrapartidas do Programa de Aceleração do Crescimento (CPAC), já assegurados.

Deste modo, os trechos de corredores exclusivos ligarão a Estação da Lapa à região do Shopping da Bahia, atendendo inclusive a população do entorno das avenidas Vasco da Gama, Juracy Magalhães e ACM, no chamado “centro nervoso”.

Quando todo circuito estiver operando o percurso total será completado em 16 minutos e permitirá ao passageiro se deslocar na rede de transporte público para outros pontos da cidade por meio de 10 estações de transbordo: Lapa, Vasco da Gama, Ogunjá, HGE, Rio Vermelho, vale das Pedrinhas, Cidade Jardim, Parque da Cidade, Itaigara, Pituba, Cidadela, Hiper e Iguatemi.

Também está previsto no BRT a terceira etapa do projeto de expansão: do Parque da Cidade ao bairro da Pituba, nas imediações do Posto Namorados. Com 1,8km, essa terceira etapa prevê a implantação das estações Parque da Cidade e Itaigara, além do Terminal Pituba, que fará integração com outros modais.

Integração 

Segundo Fábio Mota, “o projeto do BRT de Salvador foi idealizado para fazer a integração entre os dois principais pólos econômicos da cidade: o Centro Histórico e a região do Iguatemi”.  A operação do sistema será através do Consórcio Integra, que hoje cuida das linhas de ônibus da cidade.

Os veículos utilizados serão climatizados e do tipo ônibus articulados. Com capacidade para 170 passageiros, portas largas e comprimento máximo de 23 metros e operando a uma velocidade comercial de 25 a 40 km/h.  Terá capacidade para transportar 31 mil pessoas por hora, em horários de pico.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas