Zé Ronaldo sinaliza interesse em ter apoio do MDB

O MDB é apontado por correligionários do chefe do Palácio Thomé de Souza como o principal motivo para ACM Neto ter declinado na candidatura ao governo


Tribuna da Bahia, Salvador
17/04/2018 08:00 | Atualizado há 3 dias, 9 horas e 33 minutos

   
Foto: Carlos Augusto

Por Rodrigo Daniel Silva

Pré-candidato ao governo da Bahia, o ex-prefeito de Feira de Santana, José Ronaldo (DEM), disse, ontem, que quer o apoio do MDB para fortalecer a candidatura ao Palácio de Ondina, contrariando o prefeito de Salvador, ACM Neto (DEM), que chegou a dizer que “se dependesse” dele o partido estaria fora da chapa. “Eu desejo o apoio do MDB. Eu não quero tirar o apoio do MDB. Eu acho que o MDB soma dentro do processo político, tem um bom horário de televisão e aprendi, ao longo da minha vida, a separar todas essas questões. Está separado. Houve problemas no MDB Bahia? Houve, mas há uma história desse partido. A história se faz do ontem, do hoje e do amanhã. Não se faz a história só com o presente. Eu, sincera e honestamente, se o MDB resolver me apoiar, eu aceitaria o apoio do MDB”, afirmou, em entrevista à rádio Itapoan.

O MDB é apontado por correligionários do chefe do Palácio Thomé de Souza como o principal motivo para ACM Neto ter declinado na candidatura ao governo. Isto porque teria receio de o escândalo das malas, que atingiu Lúcio Vieira Lima e o seu irmão, o ex-ministro Geddel Vieira Lima, afetasse a sua campanha. Para o democrata soteropolitano, a sigla “vive um momento de grave crise política” e “precisa corrigir os seus próprios problemas internos para depois pensar em construir o futuro”.

Perguntado se vai querer apoio do MDB mesmo com a permanência do deputado federal Lúcio, José Ronaldo defendeu o diálogo para tratar do assunto. “Vai discutir. Não faço política sozinho. Não sou candidato sozinho. Eu sou candidato de um grupo. Eu estou buscando apoio de partidos políticos para fazer a minha candidatura. Isso é uma questão que será discutida pelos candidatos a deputados federais e estaduais. Não vou decidir sozinho. Eu estou dizendo que quero apoio do MDB”, afirmou.

O democrata feirense ainda apostou que vencerá no primeiro turno a eleição, mas admitiu que neste momento pode estar atrás do governador Rui Costa (PT), que é candidato à reeleição, nas pesquisas. “Eu não tenho fé que vamos para o segundo turno. Eu tenho fé que vamos ganhar no primeiro ano”, disse. “Tanto Jaques Wagner como Rui Costa saíram atrás e se elegeram. Quando Paulo Souto foi eleito governador, ele saiu bem atrás de João Durval. Qual é o problema de sair? Vai me desestimular? Não, vai me dar mais estímulo. Sincera e honestamente, isso não me amedronta”, ressaltou. José Ronaldo contou também que no dia 27 de abril haverá o pré-lançamento de campanha de governador, em Camaçari.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas