Valdemir Santana - Edição do dia 11/5

Jardineira baiana traz transgressão da moda genderless para Salvador


Tribuna da Bahia, Salvador
11/05/2018 08:55 | Atualizado há 11 dias, 15 horas e 8 minutos

   
Foto: Reprodução

A mais ousada inovação do cenário fashion internacional, a moda genderless, com roupas que servem para digamos, meninos e meninas, chega a Salvador com respaldo da vanguarda cultural negra. Faz sucesso nas redes sociais e plataformas digitais a coleção “Jardineira Baiana”.  É uma versão ousada do chamado “Macacão Frente Única”’, peça da moda casual feminina que agora é apresentada por homens. 

Embora as produções com modelos masculinos negros espalhem várias versões de roupas transgressoras, são as propostas da “Noo Estilo”, marca de consultoria, costura e pesquisa de Salvador, que parecem mais ousadas. As peças são mostradas principalmente pelo modelo Matheus Imperial (foto), e ainda com Robert Oliveira. 

A moda sem gênero genderless surgiu em Londres, na temporada de 2013, quando o estilista Jonathan Anderson escandalizou o estrelado mainstream de plantão na primeira fila com homens vestidos com roupa de mulher, e mulheres com roupas masculinas.

Emanoel Araujo comanda alerta sobre o 13 de maio

Quem dá o grito de alerta no cenário cultural brasileiro, para chamar a atenção sobre os 130 anos da libertação dos escravos é o artista plástico baiano Emanoel Araujo. Santo-amarense de nascimento, e criador de um dos mais importantes museus da cultura africana no mundo, Araujo dirige  o”Museu Afro Brasil”  em São Paulo, esbanjando provocações culturais. Ele recebeu anteontem a atriz carioca Regina Casé Ciavatta e desencadeou o interesse pelo evento comemorativo que começa depois de amanhã, dia 13.

O treze de maio é a data que lembra a “Lei Áurea” de 1888, quando a então princesa regente na monarquia brasileira, Isabel Cristina de Bragança, libertou os escravos no país. Para comemorar a data, o “Museu Afro Brasil” promove uma revisita á exposição de longa duração “Abolição 130 anos depois - onde estão os negros?” que questiona o efeito da libertação para os dias de hoje. No museu está em exibição também mosttras com trabalhos do artista polonês Frans Krajcbeerg que morou na Bahia e morreu em novembro do ano passado.

Carnaval baiano em São Paulo com deejay “Boi Perfeito”

O chamado PIB gay da Bahia mostra sua força com irreverência em São Paulo, no dia primeiro de junho. É a versão deste ano da festa de rua, tipo carnaval baiano, “Blow Out”, produzida pela holding de casa noturna “San Sebastian”, famosa por agitar o bairro do Rio Vermelho,em Salvasor. A festa paulistana vai ser no antigo aeroclube “Campo de marte”. Mais do que o carnaval baiano levado pela estrela fluminense Claude Leitte, a novidade fica por conta do modelo, blogger e deejay Luan Poffo. O rapaz faz sucesso no circuito elegante do litoral de Santa Catarina. Mas por estar sempre bem arrumado, ouve criticas de fazer a linha Boi Perfeito.

Gringos continuam espantados com o abacate açucarado 

A blogger alemã que se identifica apenas como Janni Ka, percorre o mundo inteiro numa rapidez incrível. Num piscar de olhos posta imagens de lugares singulares incluindo aldeias do Nepal, praias selvagens da Austrália e florestas cheias de mistérios da ilha de Bali, na Indonésia. Mesmo assim, visitando tantos lugares, ainda se espanta com novidades que acaba de descobrir no icônico Vale do Capão, da região central da Bahia, onde chegou na quarta feira, anteontem.

Foi mais uma gringa que estranhou o hábito brasileiro de comer abacate com açúcar. Postou uma foto sentada embaixo de um frondoso abacateiro e fez a resenha. “Me apaixonei por essa fruta verde desde que a comi pela primeira vez na Nova Zelândia. Mesmo quando os abacates parecem diferentes no Brasil, com uma casca mais verde e mais uniforme , ainda têm um gosto fantástico. No Brasil eles comem com açúcar,mas eu me acostumei a comer com sal e mostarda”,ensinou.  

Caetano canta no Eurovision, mas Sérvia e Modavia roubam a cena

Caetano Veloso participou ontem, em Lisboa, da festa para o semifinal do gigante festival “Eurovision”, mas não brilhou mais do que as surpresas do Leste europeu. Os dez semifinalistas escolhidos na noite foram Sérvia, Moldávia, Hungria, Ucrânia, Suécia, Austrália, Noruega, Dinamarca, Eslovênia e Holanda. Segundo a mídia portuguesa, as duas grandes surpresas foram a Sérvia e a Moldávia. Todo mundo acreditava que não passariam, disse o jornal “Observador’. 

Na noite anterior foram classificadas Áustria, Estônia, Chipre, Lituânia, Israel, República Checa, Bulgária, Albânia, Finlândia e Irlanda. Na final, de amanhã, Portugal também canta, porque venceu o festival no ano passado. E ainda os chamados “Big Five” do show business mundial que são França, Alemanha, Itália, Espanha e Reino Unido.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas