Boeing 737: Cubanos são maioria entre vítimas

Segundo o Ministério das Relações Exteriores, que acompanha as investigações sobre o acidente, não há informação sobre brasileiros entre as vítimas


Tribuna da Bahia, Salvador
19/05/2018 06:38 | Atualizado há 5 dias, 18 horas e 20 minutos

   
Foto: Reprodução/EFE

Apeans cinco dos 113 passageiros e tripulantes que estavam no Boeing-737-200 que caiu no fim da manhã de hoje (18) nos arredores de Havana eram estrangeiros – os demais, cubanos. A nacionalidade dos estrangeiros ainda não foi revelada, segundo a imprensa oficial cubana. Segundo o Ministério das Relações Exteriores, que está acompanhando as investigações sobre o acidente, não há informação sobre brasileiros entre as vítimas.

O mais provável é que os estrangeiros sejam mexicanos, uma vez que a aeronave foi arrendada da Cubana de Aviação por uma empresa daquele país, a Damojh. Apenas três mulheres sobreviveram à queda. No avião, estavam 104 passageiros, inclusive um bebê de 2 anos, e quatro crianças, além de nove tripulantes.

De acordo com a imprensa oficial de Cuba, o governo disponibilizará transporte para que os parentes das vítimas possam ir à região de Boyeros, nos arredores do aeroporto de Havana, para identificar os corpos e pertences. O presidente de Cuba, Miguel Díaz-Canel, foi até o local acompanhado por brigadas de resgate e bombeiros e se solidarizou com as famílias das vítimas.

As vítimas foram levadas para Hospital Universitário Geral Calixto García. De acordo com a imprensa oficial, o ministro da Saúde e vice-presidente do Conselho de Estado, Roberto Morales, também foi ao local do acidente e acompanha o atendimento aos sobreviventes.

As causas do acidente ainda estão sendo investigadas. O avião caiu em uma área agrícola.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas