Com a greve dos caminhoneiros, 80 mil carros deixam de ser produzidos

Segundo a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores, serão necessários de dois a três meses para recuperar a produção perdida


Tribuna da Bahia, Salvador
07/06/2018 11:52 | Atualizado há 17 dias, 12 horas e 54 minutos

   

A greve dos caminhoneiros que paralisou várias atividades no País derrubou a produção, as vendas e as exportações de veículos em maio. Por falta de peças, todas as montadoras suspenderam atividades durante uma semana e entre 70 mil e 80 mil veículos deixaram de ser produzidos no período.

Foram feitos 212,3 mil automóveis, comerciais leves, caminhões e ônibus, queda de 20,2% ante abril. Em relação a maio de 2017 houve recuo de 15,3%, interrompendo sequência de 18 meses seguidos de crescimento no comparativo interanual.

Segundo a Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), serão necessários de dois a três meses para recuperar a produção perdida. 

Ainda de acordo com a instituição, a greve impediu o embarque de 15 mil carros. Foram exportados 60,7 mil veículos, 17% menos ante abril e também ante maio de 2017. No ano ainda há crescimento de 1,6%, para 314 mil unidades Em valores, as exportações somam US$ 7,2 bilhões, 19,5% superior a 2017.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas