PT baiano reforça apoio à candidatura de Lula

Everaldo Anunciação, presidente do PT na Bahia, participou do lançamento da pré-candidatura de Lula em Minas Gerais


Tribuna da Bahia, Salvador
09/06/2018 13:00 | Atualizado há 15 dias, 11 horas e 50 minutos

   
Foto: SAMUEL BARBOSA

Por Rodrigo Daniel Silva

O PT da Bahia reforçou o apoio à postulação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) ao Palácio do Planalto ontem, durante o lançamento oficial da pré-candidatura do petista, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte. O evento teve a presença do presidente do partido na Bahia, Everaldo Anunciação, e do ex-governador Jaques Wagner e deputados da sigla. “É um ato para reafirmar o que o povo brasileiro está dizendo. O povo quer que o Brasil volte a se desenvolver. Só Lula tem condições fazer isso. Além disso, queremos também a liberdade de Lula, que tem sido perseguido politicamente”, afirmou Everaldo, ao ressaltar que o PT vai registrar a candidatura do ex-presidente no dia 15 de agosto, último prazo para a inscrição definido pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). 

O presidente do PT baiano disse que a agremiação não definiu o vice na chapa, mas defendeu que o integrante da composição seja “de outro partido que não seja do PT”. Nos bastidores, parte dos petistas quer que seja um membro da sigla para que substitua Lula, caso a candidatura seja indeferida pela Corte Eleitoral. O nome do ex-ministro das Relações Exteriores, Celso Amorim, já foi cotado para o posto.

Lula está preso desde o dia 7 de abril na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, após ser condenado a 12 anos e um mês, em segunda instância por corrupção passiva e lavagem de dinheiro no caso do triplex. O petista deve ter a candidatura indeferida com base na Lei da Ficha Limpa. O PT, no entanto, tenta manter viva a ideia de que o ex-presidente é o candidato do PT. Desde o ano passado, Lula aparece como líder nas pesquisas de intenção de voto, preferência que se mantém mesmo depois de sua prisão. Na Bahia, o ex-chefe do Palácio do Planalto teria 43,4% das intenções de votos, se fosse candidato, conforme levantamento do instituto Paraná Pesquisas divulgado na semana passada. Ontem, nas redes sociais, o ex-governador Jaques Wagner voltou a condenar a prisão do aliado. “O presidente Lula e sua família tiveram as vidas devassadas durante anos. Há 60 dias, ele está injustamente preso. E mesmo depois de todo esse tempo seus acusadores foram incapazes de apresentar uma prova, uma evidência sequer, de que tenha cometido qualquer crime”, afirmou, em sua conta no Twitter. 

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas