Hospital Geral Roberto Santos será ampliado

Com investimento em torno de R$ 20 milhões, a unidade vai passar por obras de reforma e ampliação que englobam centro cirurgico, setor de diálise e enfermaria vascular


Tribuna da Bahia, Salvador
13/06/2018 12:16 | Atualizado há 11 dias, 12 horas e 27 minutos

   

Com investimentos em torno de R$20 milhões, o Hospital Geral Roberto Santos (HGRS) vai passar por obras de reforma e ampliação que englobam as áreas do centro cirúrgico, setor de diálise, enfermarias vascular e de nefrologia, modernização da subestação, além da construção de um novo refeitório e uma nova cozinha.

O contrato para a execução das obras do HGRS foi publicado no Diário Oficial desta terça-feira (12) e beneficiará o maior hospital da rede estadual, que desde 2015 vem passando por melhorias. A unidade teve ampliação da estrutura física, com o aumento de leitos, incluindo leitos de UTI pediátrica e neonatal, obras de requalificação da área externa, além da ampliação de serviços ao se tornar um Centro Transplantador.

Para o secretário da Saúde do Estado, Fábio Vilas-Boas, “graças ao compromisso do Governador Rui Costa em ampliar a resolutividade das unidades hospitalares do estado, está sendo possível transformar a realidade do Roberto Santos e de vários outros hospitais por todo o estado.”

Ao longo desses 39 anos de construído, o HGRS passou por várias intervenções no sentido de melhorar seu atendimento e, dessa vez, terá o andar intermediário totalmente reformado, onde passará a funcionar o serviço de Diálise, que sairá dos atuais 30 pontos para 42, além das enfermarias que terão 59 leitos ampliados para atender à nefrologia e cirurgia vascular.

O centro cirúrgico contará com a modernização das suas instalações, com implantação do sistema de climatização, ventilação e exaustão mecânica com controle de temperatura, umidade e filtragem para qualidade do ar, para atender às exigências da norma NBR7256 e ainda serão substituídas as instalações elétricas, esquadrias e revestimentos das salas cirúrgicas.

Já a cozinha e o refeitório, com capacidade para 210 lugares, serão construídos em um bloco anexo, que ficará próximo à subestação, com 3.855m2 de área construída, que ainda abrigará um estacionamento com 70 vagas. A integração entre o bloco e o hospital será através de uma passarela coberta, que permitirá o acesso dos funcionários ao refeitório e a distribuição das refeições nas enfermarias.

Por fim, a modernização do sistema elétrico visa a melhoria da manutenção, aumento da segurança e a otimização do custo de energia elétrica, cujo projeto consiste, dentre outras coisas, na separação da entrada e medição de energia para as unidades do hospital, UPA e edifício anexo, além da substituição dos equipamentos antigos por painéis novos e compactos de alta-tensão.

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas