IBGE: 79 mil crianças de 5 a 13 anos trabalham no Nordeste

A agricultura foi o principal segmento que absorveu a mão de obra de crianças e adolescentes, concentrando 175 mil delas, o equivalente a 32,5% do total


Tribuna da Bahia, Salvador
13/06/2018 13:30 | Atualizado há 11 dias, 11 horas e 15 minutos

   
Foto: Fernando Araújo

Por Jordânia Freitas

O último levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)  apontou que de um total de 40,1 milhões de pessoas com idade entre 5 e 17 anos, 1,8 milhão trabalhavam no Brasil em 2016, o que corresponde a 4,6% dessa faixa etária.  Os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua) mostraram ainda que  o  Nordeste foi a segunda região do país com a maior proporção de trabalho infantil a ser erradicado, de 5 a 13 anos de idade, com um nível de ocupação da ordem  1,0% (aproximadamente 79 mil crianças). O Norte ocupou o 1º lugar no ranking.  

Ainda no âmbito da região Nordeste, 538 mil pessoas de 5 a 17 anos trabalhavam em 2016. A agricultura foi o principal segmento que absorveu a mão de obra  de  crianças e  adolescentes, concentrando 175 mil delas, o equivalente a 32,5% do total.  Os setores de comércio (27,1%) e serviços domésticos (7,6%)  aparecem na sequência.

Os meninos negros foram apontados como as maiores vítimas do trabalho infantil no período analisado. Conforme a pesquisa, 69% das pessoas ocupadas nessa faixa etária eram do sexo masculino e 79,5% da cor preta ou parda.

Além de prejuízos emocionais e psicológicos, o trabalho infantil ocasiona, por vezes, riscos de acidentes e até mortes. Entre 2007 e 2017, o Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan) do Ministério da Saúde registrou que 40.849 crianças e adolescentes se acidentaram enquanto trabalhavam. Destes, 24.654 sofreram lesões graves e 236 morreram. As principais ocorrências são ferimentos, traumatismo superficial, fraturas e até amputações de membros.

Ontem, no Dia Mundial de Combate ao Trabalho Infantil, a presidente da Sociedade Baiana de Pediatria (Sobape), Dolores Fernandez, disse que o trabalho infantil causa um prejuízo imensurável.  “O trabalho infantil retira direitos que são fundamentais para que nossas crianças e adolescentes tenham boa formação física e psicológica. É algo que toda a sociedade baiana e brasileira deve denunciar e ajudar a combater diariamente. Precisamos encontrar formas de mudar essa realidade, devolvendo a infância às nossas crianças”, opinou.

Denúncias

Para ajudar a erradicar o trabalho infantil, basta ligar gratuitamente para o Disque 100. O anonimato é garantido. A denúncia é registrada e encaminhada ao órgão responsável. O Ministério Público do Trabalho também recebe denúncias em seu site na internet. http://www.prt5.mpt.mp.br

Compartilhe       

 





 

Notícias Relacionadas